A mascara da FMU começa a cair.


credito da imagem portal R7

Desculpem a demora em escrever um novo texto nesse espaço, mas ultimamente ando muito ocupado, já que além de trabalhar estou dedicando meu tempo livre para estudar para um concurso publico além de ter que dar atenção as pessoas que me rodeiam, mas sempre que possível estarei aqui postando minha opinião sobre algo, dadas as satisfações vamos ao que interessa.

Recentemente a estudante Angelita Pinto morreu depois de ter um mal súbito em uma das unidades da FMU, ficou constatado que a faculdade não dispunha de ambulatório e nem de pessoas preparadas para lhe dar com situações como essa o que abre um sinal de alerta para todas as faculdades do Brasil ou qualquer lugar que tenha grande circulação de pessoas espero que a morte da estudante Angelita Pinto não tenha sido em vão.

Mas o que me chamou a atenção é que pelo visto as coisas na FMU não mudaram, desde a época que eu me formei em 2006 a estrutura da faculdade nunca foi da melhor, única coisa que era de alto  nível eram as mensalidades aumentadas sempre acima da inflação.

Fui aluno do curso de Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda, nesse tempo convivi com computadores ultrapassados, um laboratório de informática minúsculo insuficiente para todos os alunos da faculdade, impressora quebrada e grande parte das aulas se resumiam ao professor passar um trabalho para o semestre, onde era raro encontrar professores com uma didática plausível, confesso que assim como a maioria dos alunos da FMU (que faz parte do grupo FMU) fui omisso, não protestei e não fiz nada para mudar e para exercer minha profissão posso garantir que o ano que passei em outra faculdade e a leitura de livros sobre publicidade e propaganda foram de mais serventia do que 4 anos que passei estudando na FMU onde pensava que a FMU era uma exceção diante da falta de estrutura mas pelo visto e infelizmente estava enganado.

Pois com a morte da estudante Angelita Pinto a falta de estrutura da FMU veio á tona onde a estudante de direito Nerli Terra Santana reclama que a faculdade possui lousas e ventiladores quebrados, Aparecida Dias Fernandes reclamou sobre a estrutura do prédio denominado uma das escadas como “horrorosa”(informações desse paragrafo foram colhidas no site R7)

E ainda aconteceu um protesto no campus localizado em Santo Amaro dessa vez realizado pelos alunos do curso de odontologia onde protestavam contra a qualidade da clinica instalada no mesmo local.

Em fim parabéns aos estudantes da FMU que tiveram coragem de protestar  contra a duvidosa qualidade dessa instituição de ensino, coisa que em minha época não tive coragem de fazer.

Uma resposta para “A mascara da FMU começa a cair.

  1. – Vi esse texto só agora (14/10/2014) e bom, se isso foi postado em 2012 mesmo, acredite: NADA MUDOU!
    Eu sou aluna do técnico e ganhei bolsa, realmente não posso reclamar muito, os professores que deram aula a mim até agora são ótimos e tem lá seus doutorados da vida. Mas, eu não pagaria 400, 500, 900 reais por mês, ou o que for por uma faculdade assim. Realmente, se a escada não tem iluminação ou não, não vai fazer diferença no aprendizado, mas tenho certeza que muitos não devem aceitar isso pagando sua mensalidade sem atrasos.
    O que nos resta é estudar e estudar muuuito pra conseguirmos entrar em uma boa universidade, porque ser aluna (o) de FMU’S da vida é quase um atraso de vida.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s